Últimas Notícias

Homem é preso após ameaça de bomba e tenta levar avião a Soshi...
Esporte que constrói o Brasil.

Memória Olímpica

Marta

22-10-lendas-marta-capa-interna_680

 

 

De origem humilde, Marta Vieira da Silva nasceu em Dois Riachos, Alagoas, no dia 19 de fevereiro de 1986. Mesmo com as dificuldades financeiras em casa, quando adolescente, Marta decidiu se arriscar no futebol, esporte predominantemente masculino no Brasil. A coragem levou Marta mais longe do que qualquer outra mulher do país no futebol.

A habilidosa meia foi eleita pela FIFA a melhor jogadora de futebol do mundo nada menos do que cinco vezes consecutivas, entre os anos de 2006 e 2010. Foi Bola de Ouro em 2004 e, em 2007, foi Bola de Ouro e Chuteira de Ouro. 

marta2-div-fifa-texto_300_300Com Marta em campo, a seleção brasileira chegou a conquistas que jamais havia alcançado: duas pratas olímpicas, nos Jogos de Atenas, em 2004 e, Pequim, em 2008. Sob a sua liderança, a equipe também alcançou o ouro inédito nos Jogos Pan-Americanos, em Santo Domingo, em 2003, medalha que se repetiria também na edição do Rio de Janeiro, em 2007.

Marta começou a jogar futebol no juvenil do Centro Sportivo Alagoano (CSA), em 1999. No ano seguinte, foi contratada pelo Vasco da Gama, onde jogou no profissional entre os anos de 2000 e 2002. Do Vasco da Gama foi para o Santa Cruz Futebol Clube de Minas Gerais, onde permaneceu entre 2002 e 2004. 

O talento era tanto que foi reconhecido logo no início da sua carreira. Ainda aos 16 anos, foi convocada para a seleção principal, já ganhando o direito de vestir a camisa 10. Em 2002, a jogadora tinha a missão de substituir Sissi, até então a grande craque da seleção brasileira. Marta, porém, se destacou logo de cara, na campanha bem-sucedida do Pan de Santo Domingo. 

marta-divulgao_400_400Após o sucesso na seleção, assinou com o time Umea IK da Suécia, em 2004, iniciando sua carreira internacional. Depois de sair do país, Marta voltou a jogar no Brasil apenas uma vez. Em 2009, a meia foi contratada pelo time norte-americano Los Angeles Sol. Na temporada, acabou emprestada ao Santos, quando foi campeã da Copa Brasil e da Taça Libertadores.

Na disputa da Olimpíada de Atenas, Marta e as jogadoras Pretinha, Cristiane e Roseli sofreram uma das maiores injustiças do futebol. Após arrancar um empate no tempo normal da decisão contra os Estados Unidos, o time nacional foi prejudicado por erro da juíza, que não marcou um pênalti quando a zagueira norte-americana Kate Markgraf defendeu uma bola usando as mãos dentro da área. No final, os EUA venceram por 2 a 1.

Marta também conduziu a seleção a uma final de Copa do Mundo, em 2007. Apesar da derrota para a Alemanha, a brasileira foi eleita a melhor jogadora e artilheira do torneio. Atualmente, tem contrato assinado com o FC Rosengård da Suécia.

Assim, Marta construiu uma trajetória de conquistas que abriu muitas portas para o futebol feminino brasileiro no mundo. Hoje, a seleção passa por renovação e já não depende tanto da sua maior estrela para seguir conquistando títulos. 

Texto baseado no livro "Heróis do Esporte Brasileiro", do autor Eduardo Costela (Editora Europa, 2010).

Fotos: Divulgação


Fatal error: Call to a member function getLink() on a non-object in /home/storage/a/b4/92/memoriaolimpicabrasi/public_html/incs/coluna_direita_os_jogos.codigo.php on line 28