Últimas Notícias

Homem é preso após ameaça de bomba e tenta levar avião a Soshi...
Esporte que constrói o Brasil.

Memória Olímpica

Fernanda Venturini

Técnica perfeita e muita visão de jogo

Um símbolo do crescimento mundial do vôlei feminino brasileiro

fernanda-venturini-divulgacao-texto_340Fernanda Venturini é um dos maiores símbolos da geração que abriu caminho para o sucesso da equipe nacional de vôlei. Até hoje é considerada uma das melhores levantadoras que o país já teve.

Fernanda Venturini nasceu no dia 24 de outubro de 1970 em Araraquara, São Paulo. Entrou para o voleibol aos onze anos, por indicação médica, para corrigir um problema de escoliose e ali descobriu uma vocação. Seu primeiro título internacional veio aos 17 anos, quando se sagrou campeã mundial pela primeira vez em Seul, na Coreia do Sul.

No ano seguinte, fez parte da equipe que disputou as Olimpíadas de Seul e terminou em sexto lugar. Nesse momento da carreira, Fernanda ainda atuava na posição de ponteira-passadora. O cargo de levantadora só veio mais tarde, porque nenhuma companheira de equipe gostava de assumir essa função nos treinos. E foi nessa posição  que Fernanda brilhou, demonstrando toda sua habilidade e visão de quadra.

Nos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, já atuando como levantadora titular, Fernanda ajudou a seleção a alcançar o quarto lugar. Dois anos depois viria a primeira grande conquista. A equipe feminina conquistou pela primeira vez o Grand Prix e Fernanda Venturini foi eleita a melhor jogadora do torneio. Embalada pela vitória, a seleção alcançou outro feito inédito: a medalha de prata no Campeonato Mundial, perdendo apenas para a forte Cuba.

venturini-cob-texto_370Apesar disso, a medalha mais marcante só veio em 1996, nos Jogos de Atlanta. Ao lado de atletas como Leila, Ana Paula, Márcia Fu, Virna e Ana Moser, Fernanda levou o Brasil ao pódio olímpico pela primeira vez no vôlei feminino. A equipe conquistou a medalha de bronze ao derrotar a Rússia.

Ao longo da carreira, Fernanda chegou a anunciar a aposentadoria diversas vezes e teve muitas recaídas. Em 2003, voltou para conquistar mais uma prata na Copa do Mundo e um título do Grand Prix. Nos Jogos de Atenas, em 2004, foi quarto lugar, despedindo-se definitivamente da seleção.

A levantadora ainda seguiu colecionando vitórias na Superliga Feminina de vôlei. Em 2007, deixou as quadras brasileiras para voltar depois em 2011, quando seu marido, o técnico Bernardinho, precisou de um reforço no elenco do time do Rio de Janeiro.

Por conta de façanhas como essas, Fernanda Venturini foi a única brasileira a figurar na lista das quatro indicadas ao prêmio de melhor do século 20, segundo a Federação Internacional de Voleibol (FIVB).

 

Texto baseado no livro "Heróis do Esporte Brasileiro", do autor Eduardo Costela (Editora Europa, 2010).

Fotos: Divulgação


Fatal error: Call to a member function getLink() on a non-object in /home/storage/a/b4/92/memoriaolimpicabrasi/public_html/incs/coluna_direita_os_jogos.codigo.php on line 28